Quando foi criado, este blog tinha como objectivo primordial ser montra dos meus escritos e, consequentemente, uma ponte para a Amazon – espaço de venda dos meus livros.

Porém, em (muito) pouco tempo tornou-se muito mais que isso. *tanto mais*

Mais que casa da minha plataforma de autor, o blog é o meu espaço de ser-escrevente. Aqui falo sobre os Bastidores dos meus escritos, devaneio sobre o meu processo de escrita, falo sobre as minhas imensas inspirações, escrevo textos intimistas, pratico escrita,…

Aqui escrevo. E isso é parte de mim, de quem sou.

Obviamente nunca perdi o objectivo inicial: será, sempre, um espaço de marketing dos meus livros – mas não o principal. Além de detestar marketing agressivo, os Bastidores são os Bastidores, onde se partilham “inspirações, as histórias por detrás das histórias. Fala-se de livros, ama-se música, recordam-se viagens,…“.

Com esta entrega ao blog veio sede de melhoramento, surgiram comparações (saudáveis) com outros blogues que sigo, exigências que surgem com a utilização contínua. Assim, numa avaliação genérica ao blog, ontem apercebi-me de um erro crasso nos Bastidores: em todos os meus artigos falo na 1ª pessoa, eu, a Leonor. Porém, além da página “A Leonor”, estou ausente pelo blog; nunca incluí a minha assinatura nos artigos e os meus comentários estão sempre assinado com blog. *demorei 5 meses para pensar nisto!*

Imediatamente decidi acrescentar uma assinatura personalizada, claro. Tarefa simples? Não! Foi uma tarefa que me demorou horas e desespero.

Não sou criatura ajeitada em tecnologias: sou uma excelente utilizadora de programas e considero-me uma rápida aprendiz; pesquiso atalhos de funções (prefiro usar teclado ao rato), exploro funcionalidades dos menus,… desenrasco-me mesmo bem. Mas esta fluidez é nula quando se trata de mexer em programas, em usar códigos CSS, html, e outras siglas que me são alienígenas.  Não gosto portanto não me aplico. Simples.

Inscrevi-me há semanas no Mailchimp para criar a Newsletter aqui do recanto e, a cada tentativa de configurar os emails automáticos, insulto violentamente o macaco *raios partam configurações técnicas!*. Eu chego lá – a minha teimosia e persistência levam sempre a melhor. Mas só quando a neura me leva ao limite.

Voltando a ontem: decidida a acrescentar a minha assinatura pessoal ao blog, dei o passo mais lógico: criar um novo autor. Fácil. Difícil foi conseguir – eu, Leonor – aceitar o convite. Entre o google e fóruns de apoio, consegui resolver a situação.  Uma hora à vida.

Passo seguinte: incluir assinatura nos artigos. O WordPress é muito intuitivo, portanto assumi que a tarefa seria fácil. Errado! Demorei outra hora para perceber o problema: o tema que tinha no blog não permitia assinaturas nos artigos. A solução? Mais uma hora a escolher novo tema, com as funcionalidades que não dispenso.

No final, foi “apenas” alterar a assinatura dos 71 artigos que tenho publicados, pois assumiu o Bastidores da Escrita em vez de Leonor Brito. Mais uma hora, portanto.

Está feito. Mas caramba, demorei horas só para acrescentar uma assinatura nos artigos!

Adoro vida de blog, amo de paixão o espaço, mas a parte técnica dispensava.

Agora que já desanuviei e partilhei as minhas frustrações, faz favor de elogiar a minha assinatura 🙂

 

~~~~~~~~~~

O meu livro de contos, disponível AQUI

O livro de contos Ser Emoção, da autora Leonor Brito


Subscreve a Newsletter e recebe um conto original


 

Ser-escrevente, ser-viajante. Movida a música e cafeína. Inspirada por sensações, sentires e emoções (eternas e efémeras), amores e desamores.

0 Comments

  1. Eu adoro o meu espaço-blogue, já escrevi sobre isso ‘no ano passado’ (como eu gosto de dizer isso, dá sensação de vida em movimento, de tempo esgotado, de renovação de calendário) mas com tantos compromissos, acabei deixando de lado o meu amigo-diário, mas me programei para que nesse ano eu não o perca de vista. rs
    Estou programando algumas mudanças por lá também, mas ainda levarei algum tempo. Eu gosto imenso de mexer em tudo, mas eu faço isso em um blogue fechado.

    Bem, que 2018 seja produtivo.

    1. Eu adoro ajustá-lo e sentir que o estou a aperfeiçoar mas tecnicismos (aka linguagem alienígena para mim) juntamente com um computador a velocidade caracol… é desesperante! Por exemplo agora tenho mais um pepino: como mudei a autoria dos meus posts para Leonor em vez do blog, já não recebo notificações, vi estes comentários por acaso. Lá vou eu para a internet pesquisar o que pode ser e tentar resolver. Grrrr

  2. O Blog tornou-se uma espécie de “espaço terapêutico” para mim…tenho escrito como terapia, mas também, e,sempre, como aprendizado…além, é claro, da interatividade com outros blogueiros…às vezes demoro uma hora para escolher uma imagem…então, o tempo dedicado à assinatura não é nada demais…demorei seis meses para decidir o nome do meu blog…kkkk

    1. Muito obrigada pelo comentário! É para mim também um prazer sentir que não estou sozinha neste percurso.
      O nome do Blog surgiu-me espontaneamente, não tive dúvidas. Quanto às fotos, partilho do mesmo tempo perdido: sendo que quando procuro uma faço logo download de várias, para usar posteriormente. O Unsplash tem sido um salva vidas.

    1. Sem dúvida que me revejo nas tuas palavras. Mas isso seria se o blog fosse apenas escrita. Estou, neste momento, às voltas com mais uma configuração: com a mudança de autor (do blog para eu própria), deixei de receber notificações… Esta é a parte desesperante de ser blogger que, sinceramente, dispensava. Quero escrever!

  3. Ler o teu texto fez-me sentir que também não estou só! De início demorei imenso tempo para fazer certas coisas. Neste momento pretendo dar uma volta no blog e mudar uma série de coisas, mas estou a ganhar coragem! No entanto, tenho aprendido muito com o blog e com as descobertas que tenho feito. Escrever para mim é uma terapia e gosto quando encontro blogs como o teu! Grata pelas partilhas ?

      1. Entendo completamente!
        Ser lido e comentado faz a diferença.
        Mantenha o contato para que não te perca entre tantos blogueiros e prometo sempre estar por aqui lendo e comentando.
        Acho importante esta troca.
        Quando digo propaganda, quero dizer em expor nas mídias sociais… coisa simples.
        Apesar de acreditar pouco no desejo real das pessoas na leitura.
        Somos sós e tento aceitar isto.
        Vamos nos falando… até! 🙂

  4. Eu também detesto o marketing agressivo. Acredito muito na construção de um relacionamento próximo com o público pra conseguir vender sem vender.
    E eu também tomo surras de “não é tão fácil como você pensa” na hora de ajustar algumas coisinhas nessa vida digital… rs
    Mas, como faz parte da nossa paixão, a gente dá conta de tudo sorrindo.
    Parabéns pelo blog. Bjos!! ❤

  5. Este projeto (que ainda mal conheço) está incrível. Em apenas um artigo já me deixou a pensar seriamente sobre a assinatura e sobre a abertura de intimidade em espaço público. O meu blog nasceu para servir um objetivo e nunca evolui porque me sinto realizado ao cumprir (mais ou menos) esse objetivo. Sinto que talvez seja a hora de escrever mais, e abrir mais “as asas” deste espaço.
    Muitos Parabéns e obrigado por toda a inspiração!

  6. Adorei o post. Tinha a ideia de fazer um blog fazia tempo, porém resolvi seguir em frente esse ano e sinto que foi a primeira decisão certa que tomei em 2018! Estou ansioso parar ver daqui ha uns anos o rumo que o mesmo irá tomar rsrsr como você disse .

    1. Obrigada, Eduardo. Estou como tu, curiosa para ver o desenvolvimento dos meus Bastidores. Ainda hoje li um artigo de uma blogger, a fazer o balanço de 4 anos de blog e como nunca esperou chegar onde chegou. Como em tudo, depende da nossa dedicação, não é? Felicidades para o teu recanto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *