micro-conto, Leonor Brito

O vento sopra-lhe palavras de aconchego, ela camufla-se com o cabelo. O vento empurra-o, sopra com mais força, precisa confortá-la. O cabelo agita-se no ar, esconde-lhe os olhos, emudece-lhe os lábios, oculta a audição.

O vento insiste, ela precisa ouvir! Atira-lhe uma rajada. Ela nega-se mas ele, persistente, sopra sopra sopra.

Impenetrável. O cabelo pousa nos ombros: o vento desistiu.

 

Ser-escrevente, ser-viajante. Movida a música e cafeína. Inspirada por sensações, sentires e emoções (eternas e efémeras), amores e desamores.

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *