Sou Escrita

Não sei escrever sem entrega, sem alma, sem encarnar o personagem – sem sofrer a sua dor, sem suspirar no seu prazer ou exasperar na sua ansiedade. Não o sei fazer porque nunca tentei – recuso-me. Um dia disseram-me que escrevo “em carne-viva”. O melhor elogio que podia ter recebido. …